Política de Privacidade

(20200810)


Para utilizar os nossos serviços é-lhe solicitado que nos comunique determinados dados pessoais, como titular desses dados declara que leu atentamente a presente Política de Privacidade (mais simplesmente: a “Política”). Trata-se de um conjunto de informações que esclarecem a forma como nós (quando escrevemos “nós” queremos referir-nos a “Alfredo”) procedemos ao tratamento dos seus dados pessoais e, ainda, os direitos que lhe assistem nesse contexto.


Para simplificar a sua leitura, dividimos todas as informações nos seguintes pontos (que aprofundamos em baixo):

  1. Dados Pessoais e Tratamento de Dados Pessoais

  2. Responsável pelo Tratamento

  3. Tratamento que fazemos (quais, como, por quem, por quanto tempo)

  4. Para que é que fazemos este tratamento (finalidade)

  5. Porque é que fazemos este tratamento (fundamento)

  6. Os seus direitos

  7. Outras informações


Em cada ponto da Política utilizamos uma frase simples para que se possa guiar pelo texto que é desenvolvida de seguida em parágrafos. Leia tudo: cada frase e parágrafo contém informação relevante que não repetimos ao longo do texto.



  1. DADOS PESSOAIS E TRATAMENTO DE DADOS PESSOAIS


Acreditamos que é importante simplificar estes dois conceitos. Só desta forma estará perfeitamente capaz de entender o alcance dos seus direitos e do tratamento que faremos.


Dados Pessoais são aqueles que o identificam.

São essencialmente os dados que o identificam como pessoa singular ou que permitem essa identificação. Alguns exemplos: nome, número de identificação fiscal, dados de localização, número de IP, cor do cabelo, peso, informação genética, estado mental, rendimentos anuais, endereço de correio eletrónico, imagem facial.


Tratamento de dados pessoais é qualquer operação realizada sobre dados pessoais.

Os exemplos de tratamentos de dados pessoais explicam bem o seu conceito: recolha, registo, organização, estruturação, conservação, adaptação, alteração, recuperação, consulta, utilização, divulgação, comparação, interconexão, limitação, apagamento, destruição.



  1. RESPONSÁVEL PELO TRATAMENTO DE DADOS PESSOAIS


O responsável pelo tratamento somos nós.

O responsável é a ALFREDO REAL ESTATE ANALYTICS - SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO, LDA, sociedade por quotas, com sede em Estrada de Miraventos, Lote 13, Miraventos, 2950-067 e NIPC 515376884 (mais simplesmente “nós” ou a “Alfredo”), por sermos nós quem determina as finalidades e os meios de tratamento dos seus dados pessoais.


E apenas nós.

Significa isto que os tratamentos respeitarão as finalidades e os meios de tratamento tal como exclusivamente previstos nesta Política.



  1. TRATAMENTO QUE FAZEMOS (QUAIS, COMO, POR QUEM, POR QUANTO TEMPO)


Quais e como? 

Nós recolhemos, conservamos, registamos, utilizamos e consultamos dados pessoais seus.

Fazemo-lo quanto a dados de identificação pessoal e contacto (nome, NIF, morada, telemóvel/telefone, e-mail) que recolhemos mediante preenchimento de campos em formulário sempre que é criado um registo de utilizador ou quando é atualizada a informação do mesmo pelo próprio.


Para assegurar a segurança dos seus dados pessoais, procuramos sempre medidas técnicas e organizativas adequadas com vista a assegurar um nível de segurança ajustado aos riscos de violação dos seus dados, tendo em conta as técnicas mais avançadas, os custos da sua aplicação, e a natureza, o âmbito, o contexto e as finalidades do tratamento dos dados, tais medidas são tomadas com os seguintes fins:

  1. Assegurar a confidencialidade, integridade, disponibilidade e resiliência permanentes dos sistemas e dos serviços de tratamento;

  2. Restabelecer a disponibilidade e o acesso aos dados pessoais de forma atempada no caso de um incidente físico ou técnico;

  3. Testar, apreciar e avaliar regularmente a eficácia das medidas técnicas e organizativas para garantir a segurança do tratamento.


Por quem?

Os seus dados pessoais são acedidos e tratados apenas pela Alfredo (seus trabalhadores), para prestar os serviços, gerir o seu pagamento ou contactar consigo, designadamente respondendo a questões, pedidos de esclarecimento e reclamações por si enviadas. Na Alfredo todos os profissionais estão sujeitos a obrigação de confidencialidade, quando não estão mesmo sujeitos a obrigação de sigilo profissional com força legal. 

Na maioria dos casos, estes profissionais poderão não ter uma relação de trabalho connosco, caso em que consideram subcontratados. Nestes casos, existirá sempre um acordo escrito destinado a salvaguardar a sua privacidade e proteção de dados pessoais, com obrigações de confidencialidade sempre que esta não se encontre devidamente acautelada por sigilo profissional através de lei.


Por quanto tempo?

Por norma os dados pessoais serão guardados apenas até que elimine a sua conta de utilizador.

Contudo, os períodos de conservação poderão variar, ainda que procuremos sempre que só sejam armazenados de acordo com a sua necessidade face aos fins que servem.

Pode acontecer, contudo, que em determinados casos estejamos sujeitos a obrigações legais que nos obriguem a guardá-los por tempo superior ao estritamente necessário – por exemplo e em matéria de faturação, alguns dos seus dados pessoais terão de ser guardados por 10 anos.



  1. PARA QUE É QUE FAZEMOS O TRATAMENTO?


Em primeiro lugar, fazemos os tratamentos para poder prestar os nossos serviços.

Utilizamos os dados que recolhemos para lhe enviar relatórios ou informações no âmbito das suas subscrições ou para personalizar estes mesmos relatórios e informações mediante solicitação sua. 


Em segundo lugar, para comunicar consigo.

Queremos poder contactar consigo, seja por carta, por e-mail, SMS ou telemóvel. É necessário fazê-lo no âmbito das atividades do ponto anterior e para outros efeitos, como gestão de pagamentos ou faturação. 


Em terceiro lugar, para cumprir obrigações legais.

Como referimos em cima a propósito da conservação dos dados pessoais. Temos obrigações de armazenar durante determinado período, registar de determinada forma e comunicar a determinadas entidades (como a Autoridade Tributária ou Tribunais), dados pessoais que tratamos.

 


  1. PORQUE É QUE FAZEMOS O TRATAMENTO?


Quanto aos tratamentos para prestar os nossos serviços, o fundamento é o serviço em si e a gestão da relação contratual que o regula.

Designadamente diligências pré-contratuais ou, quando já exista contrato, a execução deste. Só tratamos os necessários, não seria possível celebrar consigo um contrato ou prestar serviços sem o identificar através destes dados e sem poder manter uma via de comunicação consigo.


Quanto aos tratamentos para efeitos de comunicação consigo.

A situação é a mesma que a relatada no ponto anterior. Sem a comunicação consigo não é possível estabelecer um contrato ou, já depois de celebrado este, prestar convenientemente os nossos serviços.


Quanto ao cumprimento de obrigações legais.

É este o fundamento destes tratamentos, sem estes a nossa atividade não seria lícita, razão pela qual não podemos prescindir de os realizar.



  1. OS SEUS DIREITOS


Tem direito a aceder aos seus dados.

Significa isto que pode solicitar informações sobre que dados são tratados, a solicitar uma cópia desses dados e consultá-los. 


Tem direito a retificar os seus dados.

Sempre que os seus dados não sejam exatos, pode proceder à sua retificação. Sempre que se encontrem incompletos, tem direito a completá-los. 


Tem direito ao apagamento dos seus dados.

Se os seus dados pessoais deixarem de ser necessários para a finalidade que motivou a sua recolha ou tratamento, pode solicitar o seu apagamento. Contudo, pode acontecer que não seja possível cumprir o seu pedido se se verificar necessidade de cumprimento de obrigação legal. 


Tem direito à limitação do tratamento.

Em determinadas circunstâncias, designadamente quando deixe de ser necessário conservar ou tratar parte dos dados, pode solicitar que o tratamento se limite apenas aos necessários. 


Tem direito à portabilidade dos seus dados.

Sempre que os seus dados forem objeto de tratamento automatizado e nos for tecnicamente possível, tem ainda direito a solicitar-nos que os seus dados sejam transferidos para outro responsável. 


Tem direito a apresentar reclamação junto da Autoridade de Controlo Competente.

Caso considere que a maneira como tratamos os seus dados não se encontra em conformidade com a legislação de proteção de dados em vigor informamos que, sem prejuízo de qualquer outra via de recurso administrativo ou judicial, tem a possibilidade de apresentar reclamação à Comissão Nacional de Proteção de Dados ou a outra autoridade de controlo neste âmbito.



  1. OUTRAS INFORMAÇÕES


Pode contactar-nos por e-mail ou carta.

Os nossos contactos são:

ALFREDO REAL ESTATE ANALYTICS - SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO, LDA 

Morada: Praça da Alegria 22, 1250-217 Lisboa

E-mail: geral@alfredo.pt


A nossa Política poderá ser unilateralmente alterada. De acordo com as alterações realizadas, poderá: a) não ser notificado; b) ser notificado; ou d) notificado e devidamente informado das alterações.